Movimento Cívico pela Linha do Tua – Daniel Conde


Mudamo-nos para www.oportoemconversa.com

Daniel Conde, membro do MCLT, na apresentação que fez no debate organizado pelo Movimento Cívico da Linha do Tua em Bragança a 17 de Janeiro de 2009 faz um apanhado histórico de todo o processo de desactivação da Linha do Tua, desde os horários descoordenados com as necessidades da população até aos últimos acidentes ocorridos no que resta da Linha do Tua.
Questiona ainda a opção pelas ciclovias e compara com os investimentos que têm sido levados a cabo em Espanha nas linhas de via estreita.

Duração total: 09:40

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast através deste link .

Algumas Notas:

  • disconnect entre horarios da linha do tua e utilizadores habituais (estudantes)
  • material desactualizado
  • também foram fechadas muitas linhas no alentejo
  • semelhança entre o que se passou na altura e o que se está a passar agora
  • linha do tua tinha passageiros? 1991 -> 170.000 passageiros, em dois anos perdeu 80,000 com o encerramento da ligação em mirandela obrigando a transbordos
  • sobre os acidentes. já havia relatórios de seguranaça 2000 e 2007
  • “as compensações atribuidas pela barragem do tua duram até quando, duas gerações, três gerações? é que a barragem vai durar no minimo 70 anos”
  • comparação entre construção e reforço de potencia na barragem do picote -> por 1/3 do custo da barragem do tua vai produzir 75% do que a barragem do tua produz (…) 0,5% energia a nivel nacional.
  • “se todos dizem que as barragens vão trazer desenvolvimento, porque é que as cinco barragens do distrito de bragança ainda não trouxera desenvolvimento… o que é que a barragem do tua vai ter de diferente dessas cinco barragens”
  • sobre o impacto ambiental que vai ter e o estudo que foi feito.
  • dificuldade em implementar transportes rodoviários que substituam eficazmente
  • alternativas – ciclovia? caso da ciclovia do sabor – custo 125mil euros por quilómetro mais renda de 10mil euros que a câmara de torre de moncorvo tem que pagar à refere, utilizada maioritariamente por locais.
  • ferro carriles via estrecha – transcantarbico – via estreita – reabriu em 2003 linha com 340 km e com um custo/quilometro 123mil/euros; autoestrada-trasmontanta – 3M€/quilometro
  • reabrir 340 quilometros de caminho de ferro em portugal corresponderia a reabrir a linha do sabor, tua, corgo, tâmega, douro e com os restantes quilometros quase que se ia daqui [bragança] até à pueble de sanabria
  • papel da linha do tua no desenvolvimento da regiao – oportunidade de ligação à rede de alta velocidade espanhola em puebla sanabria
  • linha deve ser modernizada, concertação com transporte publico rodoviario, criação de comboios historicos
  • quem são os responsáveis pela degradação da linha
Anúncios

Etiquetas: , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: