Movimento Cívico pela Linha do Tua – João Joanaz de Melo


Mudamo-nos para www.oportoemconversa.com

Na sua intervenção no debate organizado pelo Movimento Cívico da Linha do Tua em Bragança a 17 de Janeiro de 2009, João Joanaz de Melo, Professor da Universidade Nova de Lisboa expõe aquelas que lhe parecem ser as principais falácias de todo o Plano Nacional de Barragens, desde à capacidade que essas barragens vão acrescentar à produção nacional de energia até ao impacto que elas têm no terreno.

Duração total: 17:57

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast através deste link .

Algumas Notas:

  • sobre as alterações climáticas => serve de pretexto para este plano
  • uma das regiões mais importantes a nivel de biodiversidade no planeta é a peninsula iberica
  • oil peek – desde a viragem do milenio que o preço do petroleo deixou de ser politico e passou a ser conduzido pela procura, principalmente da china e da india
  • as grandes barragens produzem energia com recursos renovaveis mas não é sustentavel, ou seja o grau de destruição que uma barragem implica para a produção de energia é muito maior do que de outras fontes de energia, até de centrais termoeletricas”.
  • quem gasta energia em portugal – transportes; domestico cerca de um terço, sector industrial tem vindo a melhorar e sector do comercio a piorar
  • não estamos a cumprir as metas de quioto, portugal de 1990-2010 devia poder aumentar no maximo 27% a emissão de gases com efeito de estufa… em 2004 já tinhamos aumentado 40%.
  • intensidade energética – gastamos +10% de energia para produzir um euro de riqueza do que a média da ue27 (…) ou +20% da ue15
  • variação da intensidade energetica nos ultimos anos => ue -6% pt -2%. e temos uma eficiencia energetica pior do que em 1990
  • o plano nacional de barragens (10 barragens) significa +3% da produção de eletricidade do pais, como a electricidade corresponde a cerca de 20% da energia do pais.
  • barragem – destruição completa da paisagem original. no caso do tua é substituição de uma paisagem unica em portugal e no mundo por uma albufeira igual a todas as outras
  • destruição dos solos – os solos não ficam inutilizados durante 70 anos [tempo de duração da concessão da barragem], ficam a render para a edp por 70 anos, porque os solos ficam inutilizados para sempre, milhares de anos…perda de qualidade a nivel de turismo da natureza
  • alternativas – melhorar eficiencia; substituir as fontes de energia (usar fontes de menor impacto do que o grande hidrico)
  • com um investimento de 400 M€ 1/5 do que custa o plano nacional de barragens inteiro poderiamos poupar no minimo 6% ou até 10% do total do consumo
Anúncios

Etiquetas: , , , ,

2 Respostas to “Movimento Cívico pela Linha do Tua – João Joanaz de Melo”

  1. Carlos Leal Says:

    Já algum tempo viajei com a minha familia desde a Regua, até Mirandela, pela linha do tua, e ficamos encantados pela paisagem, um tesouro da região e da humanidade, mas tambem ficamos muito decepcionados com a falta de aproveitamento turistico,… Muito provavelmente se tal beleza natural existisse num pais estranjeiro seria muito mais aprovetada e valorizada.

  2. vitorsilva Says:

    viva carlos. não sabia que conhecias o meu blog/podcast.
    realmente toda essa região é fantástica mas concordo contigo em relação ao aproveitamento turistico.
    vê-se muitas placas do tipo rota disto, rota daquilo mas depois quer-se encontrar um restaurante, museu ou algo do género e é muito dificil…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: